Torne seu churrasco mais agradável considerando alguns detalhes que podem fazer a diferença.

Churrasqueiras.
Existem diversos tipos de churrasqueiras, entre elas as de camping - próprias para lingüiças, corações, asas e coxas de frango e pequenos cortes de carne; as de tijolos que permitem o assado de peças maiores; aquelas confeccionadas com armação de metal, que podem ser removidas de um lugar para outro em casos de chuvas; as de bafo, indicadas para todo tipo de churrasco, com a vantagem de se transformar também num excelente forno; e as elétricas, que são ótimas para quem dispõe de pouco espaço para o churrasco. Na hora da escolha por algum destes modelos, o mais importante é procurar informações sobre a facilidade de limpeza e conservação do calor.

Acendendo o fogo.
Acender o fogo parece tarefa fácil, mas requer muita atenção e cuidado. A primeira dica é adquirir carvão de qualidade. Para acendê-lo, use álcool em gel em pequena quantidade. Se preferir, coloque o álcool num pedaço de pão e fixe-o entre o carvão. Depois, jogue o fósforo aceso sobre o álcool e use o abanador para levantar uma pequena chama. Evite acender o fogo com gasolina, querosene ou qualquer outro combustível derivado de petróleo. Estes combustíveis são altamente inflamáveis representando grande risco de acidentes, além disso, deixam a carne com sabor desagradável.

Tempo de cozimento.
Não existe tempo determinado para assar as carnes. Tudo vai depender do tipo de corte e ponto que se deseja para a carne, ou seja, bem-passada ou mal-passada. A dica é que o churrasqueiro se mantenha sempre atento para que não assem demais e fiquem duras.

Sem exageros.
Depois de combinar o churrasco sempre vem aquela dúvida: quanto de carne é preciso comprar para que não falte e nem sobre excessivamente? Calcular a quantidade de consumo por pessoa não é muito fácil, já que diversos fatores como o horário do churrasco, quantidade de crianças e mulheres que comem menos em relação aos homens época do ano, tipos de entradas e acompanhamentos, podem influenciar muito neste cálculo. Quem já está habituado a promover churrascos costuma calcular uma média de 300 a 350 gramas de carne por pessoa. Mas cuidado: peças com ossos como a costela, por exemplo, fogem à regra.

Por que o sal grosso?
Muitos tipos de carne são temperados somente com sal grosso antes de ir para a churrasqueira, portanto, ele é tão indispensável quanto às carnes na hora de programar um churrasco. Sua função, além de temperar sem comprometer ou modificar o sabor da carne, é a de reter o sumo. Depois que a carne estiver assada, o excesso de sal grosso deve ser retirado. Para isso, é só bater a faca na carne. E se você está se perguntando se é possível substituí-lo pelo sal fino, a resposta é não, O sal fino penetra demais na carne, tornando-a muito salgada para o consumo. Na falta de sal grosso, é recomendável preparar uma salmoura com o sal fino e borrifar a carne já churrasqueira.

Para amaciar a carne.
Se você comprou um corte duro de carne, não pense que o seu churrasco está comprometido. Para que fique macia, basta deixar a carne de molho no leite ou no suco de abacaxi por 30 minutos aproximadamente, temperar e assar.

Para balancear a alimentação.
- Para acompanhar o churrasco, procure sempre preparar saladas leves com folhas verdes como agrião, rúcula e alface.
- Não carregue demais o tempero do arroz e da farofa. Lembre-se de que você já estará ingerindo quantidades de sal e gordura suficientes com as carnes.
- Ao preparar carne de frango como asas e coxas, remova a pele — que apresenta alto índice de gordura e colesterol — antes de assar.
- Sempre que possível, substitua as sobremesas mais pesadas como doces por frutas cítricas como a laranja, por exemplo.

Escolha bem seus utensílios.

Faca.
A faca é um dos instrumentos que não podem faltar num dia de churrasco. Deve ter um bom corte, ser bem afiada e apresentar tamanho médio, para que possa cortar peças grandes de carne sem pesar demais nas mãos. As facas serrilhadas não são indicadas para o corte de carnes, já que dificultam a retirada de nervos e gorduras. A dica é adquirir uma faca de fácil manutenção e manejo, disponível em supermercados e utilizá-la somente para cortar carnes. Depois do uso, lave-a com água e sabão para retirar a gordura, seque bem e guarde em local seguro. Nunca use água quente para higienizar sua faca, pois ela pode perder o fio.

Tábua.
É preciso ter sempre à mão duas tábuas: uma para o corte da carne e outra para servi-la depois de assada. As melhores são as de madeira não porosa, que apresentam uma cavidade ao redor para que O suco da carne não escorra. Devem ser lavadas rigorosamente com água e sabão logo após o uso. É recomendável que sejam secas ao sol para que não fiquem com mau cheiro.

Espetos.
Os espetos são encontrados no mercado em tamanhos e tipos variados. O ideal é escolher aqueles com tamanhos adequados para a sua churrasqueira. Utilize os espetos de acordo com o tipo de assado. A identificação é muito simples, sendo que os espetos mais finos são usados para coração de frango e lingüiças, os médios para picanhas e medalhões já os mais grossos são indicados para peças mais pesadas como costela e cupim.
Lembre-se de limpá-los assim que o churrasco terminar. Para isso, esfregue-os com uma escova de aço, retirando pedaços de carne e gordura que geralmente ficam grudados no espeto. Depois, lave-os com bucha e sabão, secando-os bem antes de guardar.

Chaira.
Churrasqueiro de verdade não trabalha sem a chaira ao lado. Trata-se de um cilindro de aço áspero usado para amolar a faca. Seu manuseio é simples, bastando passar a faca nos dois lados, de cima para baixo. No início, o assador pode até se atrapalhar um pouco na hora de amolar a faca na chaira, mas com o tempo e a prática, as manobras passam a ser feitas naturalmente.

Acessórios.
Além de espetos, faca, chaira e tábuas, é importante ter sempre à disposição acessórios como toalhas de mão, avental, pinça para servir e, é claro, carvão de qualidade, álcool em gele fósforos para acender a churrasqueira.

Reconhecendo uma boa picanha.

Verificar a procedência da picanha é a primeira medida a ser tomada antes de adquiri-la. O mercado já conta com estabelecimentos especializados na comercialização desse tipo de corte, fornecendo-o limpo e embalado a vácuo, para que a sua qualidade seja mantida durante o transporte e conservação. A picanha é caracterizada pelo formato triangular e a camada espessa de gordura, responsável pelo sabor e maciez da carne. Por isso, é fundamental que ela seja preparada com a gordura. De outra forma, suas fibras ficariam retraídas e sem sabor. A dica para reconhecer uma picanha de qualidade, é verificar o grau de marmorização, ou seja, se ela apresenta ranhuras de gordura entre as fibras.
 

Desenvolvido por CATEINFO